• Mudança

    Novo endereço disponível: transportehumano.cidri.com.br

    Este blog não está sendo mais atualizado. Favor acessar novo endereço.

    Desculpe o transtorno.

Estou de volta

Nas últimas semanas eu estava impedido de pedalar e até mesmo de caminhar normalmente por causa de uma cirurgia no joelho. Graças a essa experiência, eu pude refletir com maior clareza a respeito de um dos questionamento que tem habitado a minha mente já faz algum tempo:

Uma pessoa pode ser completamente livre do carro? A minha conclusão é: Não, isso é impossível!

Não é que a humanidade seja intrinsecamente dependente de transporte motorizado. Afinal de contas, muito mais de 99% da nossa história aconteceu sem que ele estivesse presente. Apenas para citar exemplos recentes: artistas como Mozart, inventores como Da Vinci, cientistas como Pasteur, revolucionários como Tolstoi e mais uma infinidade de figuras históricas viveram e floresceram antes da chegada do automóvel. Contudo, uma pessoa apenas não pode ser completamente independente do carro se ela vive num mundo dependente do carro. Sentir isso na pele foi algo extremamente liberador para mim porque fez com que me sentisse mais próximo das pessoas, estamos todos do mesmo lado.

  • Pude perceber que não preciso convencer ninguém além de mim mesmo sobre o estilo de vida carfree, mas posso pedir por isso a todos de forma sincera e sem me importar se eu for atendido ou não.
  • Pude reconhecer plenamente que estou num mundo dependente do automóvel, que eu não tenho o menor controle sobre isso e não devo jamais negá-lo, mas  o mundo ao qual pertenço é outro e nele, a escolha minha e somente minha.

Agradeço a todos vizinhos, colegas de trabalho e demais amigos que se dispuseram a me dar caronas e transportar meus pertences. Não há como expressar toda minha gratidão por estarem ao meu lado nesse momento. Devo confessar que passar todos esses dias dependendo de máquinas para poder me mover me trouxe um sentimento de incapacidade, fez-me sentir um aleijado. Foram exatos quarenta dias (do dia 15 de setembro ao dia 24 de outubro). Mas hoje minha quarentena acabou. Voltei a pedalar.

5 Respostas

  1. Tive pensamentos parecido também quando fui atropelado pedalando em 2008… Fiquei de cadeira de rodas por 3 meses + 2 meses de fisioterapia dependente dos amigos/familia e maquinas. Dei muito valor a esses momentos pois sabia que tão breve voltaria tudo ao normal (apesar da eterna artrose hehe), mas me batia um sensação horrível de imaginar que em muitos casos as unicas alternativas são: aceitar e adaptar-se. Mudei até meu jeito de pedalar desde então. Me arrisco menos.
    Mas o engraçado é algumas pessoas comentando hoje em dia que viram um maluco pedalando com bota ortopédica peo boqueirão hehehe, era o maluco aqui.
    Abraço e melhoras!

  2. Super dentro, preciso, exato…

  3. Poxa que legal, eu passei por uma experiência parecida, não cheguei a operar mas tive que ficar afastado da bike durante 2 meses para fazer fisioterapias, justamente por um problema no joelho.
    Tive que mudar meu estilo de pedalar, e passei a ir mais lento, mais relaxado, e agora estou voltando aos poucos, mas as vezes ainda sinto um pouco os joelhos.

    Mas é isso ai amigo, vamos que vamos, pensando, pedalando e sempre evoluindo nossos conceitos e amadurecendo as idéias.

    Grande abraço e melhoras ai !

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: