• Mudança

    Novo endereço disponível: transportehumano.cidri.com.br

    Este blog não está sendo mais atualizado. Favor acessar novo endereço.

    Desculpe o transtorno.

Pedalando na neve

Chegou o frio em Curitiba. Muitos me perguntam se continuo pedalando mesmo assim. Dizem que é impossível ou que vou ficar muito doente desse jeito.

Na verdade, não é tão sofrido ou complicado quanto parece. A gente vai escreve um artigo legal com algumas dicas para quem quiser encarar o frio. Enquanto isso, segue um texto publicado no blog Girls and Bicycles que eu traduzi para mostrar como somos capazes de fazer muito mais do que imaginamos. Boa leitura.

Pedalando na neve

Para a biblioteca!

Hoje fui à bliblioteca de bicicleta. Tinha bastante neve, mas como a temperatura estava boa, eu fui.

A coisa mais surpreendente foi a mudança que se tem que ter em mente. Eu pedalei primeiro por uma rua pequena, essa foi a pior parte. Muita neve por todo o lado! E gelo. Muito gelo. Então chegando na rua principal foi tudo bem, eu só tinha que andar entre carros (dos lados, atrás e na frente) ao invés de andar do lado deles. Também tive que usar a calçada a maior parte do tempo, mas a transição de ciclista para pedestre é o tipo de experiência multi-terreno que eu geralmente não tenho o prazer de ter.

Tirar a neve não foi grande coisa. Descobri que quando a neve é tão grossa que não dá para passar pedalando pelo meio, a bicicleta acaba deslizando e derrapando. Não tinha muito momentum [embalo] porque eu não estava indo nem um pouco rápido, então só tive que esticar as pernas para os lados para manter a estabilidade. Mas sem maiores problemas. Acho que vou baixar o selim da minha bicicleta para esses meses de inverno.

Eu estava com uma Pashley e teve muito barulho de corrente batendo no protetor de corrente. Estou pensando em mudar de bicicleta … mas eu realmente gosto dos freios da Pashley. As calçadas em Edmonton são idiotas. Muitas vezes elas acabam e você se encontra na rua de repente! Quando o gelo se deposita no que costumava ser a grama, se transforma em terreno extremamente acidentado. Ainda bem que tenho uma bicicleta de aço pesada.

Ao chegar na biblioteca encontrei um amigo que me ensinou que freiar apenas com o freio traseiro permite conduzir melhor a bicicleta e fazer mais manobras! Vou tentar fazer isso.

Eu pensava que antes já me olhavam com cara de “você é louca” quando eu pedalava. Hoje recebi muito mais desses olhares.

Usei a minha fiel japona verde (forrada de pena de ganso) com capuz de pêlo e super protetores de orelha. Sem capacete. Por baixo calça jeans e camiseta de manga longa e luvas.

Paraciclo na neve

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: